Ilesh Jani: “Os termómetros de leitura pela testa não fazem mal e não emitem raios infravermelhos (…). Os termómetros em causa estão calibrados para fazer leituras na testa e não no pulso (…).”. Será?

by Odete Moiane

 Etiqueta: Verdadeira  

Data da declaração: 29 de Setembro de 2020

Data da verificação:1 de Outubro de 2020

“Os termómetros de leitura pela testa não fazem mal e não emitem raios infravermelhos, os raios são emitidos pelo corpo das pessoas. Os termómetros em causa estão calibrados para fazer leituras na testa e não no pulso, o seu uso no pulso vai dar uma leitura errada”. 

Estas declarações foram feitas pelo Director-Geral do Instituto Nacional de Saúde, Ilesh Jani, na Cidade da Beira, província de Sofala, publicadas pelo jornal noticias, edição n.º 31.103, arquivado aqui. Em meio ao aumento dos casos de Coronavírus no país, todos têm adoptado varias medidas para se manter sãos e salvos, como manter o distanciamento social e uso de equipamentos médicos essências que ajudam a conter essa pandemia e um deles é o termómetro infravermelho. No entanto, incertezas têm-se levantado em torno do seu efeito na saúde e seu uso correto.

Nestes termos, o MozCheck verificou se de facto os chamados termómetros infravermelhos foram desenhados para lerem a temperatura na testa, sem os efeitos reiterados pelo Director-Geral do Instituto Nacional de Saúde, Ilash Jani. Da pesquisa concluiu-se que a afirmação de Ilash Jani é verdadeira, tendo em conta a informação divulgada pela OMS, pela Direcção de Vigilância Sanitária de Santa Catarina e pelo Anvisa. Segundo dados da OMS os termómetros infravermelhos são dispositivos projectados para detectar sinais de radiação infravermelha da superfície da pele, que são convertidos, posteriormente, em sinais eléctricos, portanto, os termómetros infravermelhos não emitem radiação e não fazem mal. Ao contrário, capturam, por meio de um sensor, espectros infravermelhos emitidos pelo próprio corpo humano e são seguros para os seres humanos.

Quanto ao seu uso, embora existam termómetros infravermelhos de ouvido e de testa, a OMS indica a região da testa para garantir a precisão da medida, não há estudos sobre a utilização no pulso e se o seu uso em outra parte do corpo pode levar a erro de leitura.