Presidente da República inclui Inhambane entre as províncias onde ainda não houve casos de infecções de profissionais do sector da educação pela COVID-19. Será?

by Timoteo Bene

 Etiqueta: Falsa

Data da declaração: 04 de Fevereiro de 2021

Data da verificação: 06 de Fevereiro de 2021

No dia 04 de Fevereiro de 2021, o Presidente da República de Moçambique, Jacinto Nyusi, fez uma comunicação à Nação no âmbito da adopção de medidas de combate ao novo Coronavírus. Foi exactamente nesta comunicação em que o Presidente da República (PR) apresentou dados segundo os quais o sector da educação para a província de Inhambane não havia registado casos positivos para a COVID-19 entre os seus profissionais, pelo menos até o dia 3 de Fevereiro.

Enquanto para professores, pessoal de Direcção e técnico, a província de Maputo, manteve-se na dianteira, com 26, seguida da Cidade de Maputo com 22, Gaza-20, Zambézia-11, Niassa-3, Nampula e Sofala com 1 caso cada e Cabo Delgado, Tete, Inhambane sem nenhum caso, afirmou o Chefe do Estado moçambicano, na sua comunicação (pág. 6), sobre a situação de infecções no sector.

No entanto, a investigação conduzida pelo Moz Check constatou que tal informação é falsa. Pois, são localmente conhecidos casos de profissionais do sector da educação que tenham testado positivo, com mais incidência para o mês de Janeiro de 2021.

Por exemplo, num dos distritos daquela província, Zavala, as autoridades do sector da educação manifestaram a sua preocupação pela constatação de que este era um dos sectores mais afectados pela pandemia entre as instituições do sector público, justificando por isso receios quanto ao retorno às aulas.

Numa entrevista concedida ao canal televisivo Kuhanya, publicada a 27 de Janeiro de 2021, disponível aqui, o Director do Serviço Distrital da Educação, Juventude e Tecnologia de Zavala, província de Inhambane, Alberto Macamo, mostrou-se preocupado com a evolução da doença no sector, confirmando ainda existência de casos diagnosticados. Tomamos conhecimento de que temos professores e directores (escolares), que neste momento testam positivo, assintomáticos ou não. Fazemos acompanhamento, a saúde tem os números e aproxima-se a estas pessoas. E nós, o que fazemos como Serviços (Distritais de Educação, Juventude e Tecnologia), dispensamos de imediato esse colega para não se aproximar aos outros, explicou.

Mais do que os depoimentos das autoridades do sector da educação naquele distrito da província de Inhambane, o Moz Check sabe da existência de profissionais do sector da educação no distrito que acusaram positivo ao longo do mês de janeiro, tendo as respectivas amostras sido colhidas no Hospital Distrital de Quissico e as análises feitas na cidade de Maputo.

Com esta verificação, não aferimos se a informação falsa prestada pelo Presidente da República deveu-se à negligência ou omissão intencional. No entanto, está comprovadamente testada a sua falsidade.